Seja bem-vindo(a), Faça login

Sustentabilidade e Consciência

A GiraFlor teve o início da sua história no final do ano de  2015, a marca nasceu e o adjetivo sustentável veio junto. A partir da consciência de sua idealizadora Julia Portela, que era uma consumidora consciente a alguns anos, criar uma marca de moda só faria sentido desde que viesse ao mundo para fazer diferente.

Acreditamos que deixar claro todos os processos de nossa empresa é um dever que temos com o planeta, e um exemplo a seguir, por isso criamos este espaço para informar nosso público.

 

Ao longo da nossa história enfrentamos muitos desafios e tentativas afim de implementar a sustentabilidade na prática, pois, por mais que a marca e a moda em si estejam indo para um caminho cada vez mais sustentável, o cenário do mercado atual ainda é desafiador Desde a origem da matéria prima, tecelagens, oficinas, selos de comprovação, certificados etc, acreditamos que cabe a marca encontrar fornecedores e parceiros que estejam  seguindo o mesmo rumo, e, se necessário for, conscientizar pessoas ao longo do caminho.

 

Responsabilidade Ambiental 

 

Escolhas de tecidos naturais, não poluentes, de preferência orgânicos e/ou recicláveis;

Tecidos com tecnologia ecológica, sem uso de químicos danosos para o meio ambiente;

Fabricantes com responsabilidade pelo uso da água e tecnologia de reuso.

Doamos nossos resíduos para cooperativas, ONGS, ou repassamos para lojas que realizam a venda de retalhos para pequenos produtores. O que não pode ser reaproveitado é encaminhado de maneira correta para a reciclagem.

 

 

 

Mão de obra Ética

 

Uma peça muitas mãos 

1 única peça envolve o trabalho de 8 ou mais pessoas; 

Pesquisa - Desenho - Desenvolvimento da modelagem - Costura da peça piloto - Ampliação dos tamanhos - Corte das peças - Costura - AcabamentoTodas as pessoas que trabalham conosco são remuneradas de forma correta e justa.

 

 

Comércio Justo

 

Sempre quisemos um preço justo para nossas roupas, por isso levantamos a seguinte questão: Qual é o preço no qual o mercado está condicionado? O “preço justo” que costura sem remunerar de forma correta, em oficinas insalubres, resíduos que são simplesmente descartados em qualquer lugar sem nenhuma preocupação com o solo e que não se preocupa com o tempo que eles irão demorar para serem degradados pelo ambiente?  

 

Cabe a nós comunicar nossas clientes sobre como fazemos tudo por aqui, e assim fazer parte do mercado justo no qual acreditamos. Valorizamos as pessoas e cuidamos do meio ambiente para que todos os envolvidos nas nossas peças possam viver com dignidade a partir do trabalho que realizam, e assim desenvolver as roupas que amamos com a consciência de que foram feitas a base de honestidade, afeto e cuidado.